terça-feira, abril 28, 2009

A MULHER, SEGUNDO RACHEL DE QUEIROZ

Retrato da escritora quando jovem.

in Google.



Há muitos anos li numa revista uma frase atribuída à escritora Rachel de Queiroz, que me deixou funda impressão. Não me lembro exatamente das palavras, tanto tempo decorrido, mas elas expressavam a satisfação, o júbilo de Rachel de pertencer ao sexo feminino, pois isso a impossibilitava de ter que casar com uma mulher. Como não era uma entrevista, só uma frase, talvez no meio de frases de outros autores, não era revelado o motivo da hostilidade de Rachel às companheiras de sexo. E com a experiência adquirida no decorrer dos anos, de que a imprensa escrita nas entrevistas coloca frases que uma pessoa (geralmente famosa) não disse, ou não disse exatamente o que sai impresso, cheguei a pôr em dúvida a autenticidade das palavras da escritora cearense.
Ocorreu, então, que há poucos dias vi a reprise de uma longa entrevista que Rachel concedeu ao canal da Câmara, ou do Senado. Não deve ter sido muito tempo antes da sua morte, pois já estava um bocado velha, mas revelando uma grande memória e não menos lucidez. Peguei o programa já pela metade, mas ouvi ainda Rachel falar de José Lins do Rego, do Padre Cícero e do Marechal Castelo Branco, que era seu parente, entre outras personalidades. Perto do final, o entrevistador deve ter lhe perguntado algo sobre a mulher (preciso esclarecer que a entrevista seguia o modelo criado por Fernando Faro no programo "Ensaio", da TV Cultura, no qual não se vê o entrevistador, nem se lhe ouve a voz). E aí Rachel pegou pesado. Disse que as suas amizades eram com homens e usou umas três palavras fortes contra a mulher, das quais só me lembro de uma, que era "traiçoeira". "A mulher é muito traiçoeira", afirmou.
Ah, então era mesmo dela aquela frase antiga, falei para mim mesmo. E fiquei como se não tivesse ouvido aquela opinião sobre a mulher, partida de outra mulher. Olhei para a minha esposa, ao meu lado, não percebi nela a mínima reação. Porque é comum uma mulher falar mal de outra, o mesmo acontece com o homem. Isso ocorre muito entre as atrizes, as cantoras (Nara Leão, por exemplo, chegou a revelar publicamente sua antipatia por Elis Regina). Mas nunca ouvi, ou li, nenhuma delas manifestar uma ojeriza contra a mulher em geral. E não cabe dizer que Rachel estava querendo chocar, ou atrair para ela os holofotes. Há décadas já se consagrara como escritora, não precisaria usar de artifícios como esse. Além disso, ela era conhecida por sua franqueza, por dizer o que pensava, por não ter papas na língua. O que se pode, talvez, especular, é que Rachel, na juventude, tenha tido experiências traumáticas no relacionamento com mulheres. Pode ter ocorrido isso. Ou não?

4 comentários:

BOTINHAS disse...

Amigão, o que eu acho é que isso passou-se há muitos, muitos anos.
Se fosse agora, o facto de ser mulher não a impedia de casar com uma mulher, certo???
Falando sério, acho que há algumas mulheres que são màzinhas para as suas parceiras, mas não são todas.
Conheço algumas que são amigas desde a infância e continuam a sê-lo, decorridos muitos anos.
Há de tudo, como na farmácia - isto é um dito português, que não sei se usam aí no Brasil.

Obrigado pela sua visita,

Abraço fraterno
Botinhas

Mariazita disse...

Querido amigo Francisco
Há pouco tempo recebi por email este texto, e gravei-o com a intenção de o publicar oportunamente.
Isto porque o achei bastante interessante, o que não significa que concorde, a 100%, com a maneira de pensar de Rachel Queiroz.
Foi uma boa escolha, a sua.

Beijinho carinhoso
Mariazita

Lili disse...

Querido Sobreira,
na minha opinião a Rachel de Queiroz foi cruel, generalizou e banalizou a figura da mulher. Mas, uma coisa eu concordo com ela, eu também prefiro a amizade dos homens.
Mas a questao de ser traiçoeira, isso é do caráter humano, independente do gênero feminino ou masculino.
Sua escolha do texto realmente foi boa!!
Um grande beijo

DILERMArtins disse...

Mas bah, guri.
Essa é uma raça desunida!
Na minha opinião a Rachel só expressou a vontade de muitas mulheres em alguns momentos...
É claro que ficou pesado, mas era seu estilo, ou não?
Parabéns pelo post, pelo detalhe de como uma frase ficou em sua cabeça, esperou anos pela confirmação e finalmente se fez conceito e virou texto.