terça-feira, dezembro 30, 2008

POEMA DE FIM DE ANO DE MÁRIO QUINTANA

Quadro Esperança, do pintor inglês George
Frederick Watts (1817-1904)
* * * * * * * * * * * * * * *
Esperança
Lá bem no alto do décimo segundo andar do Ano
Vive uma louca chamada Esperança
E ela pensa que quando todas as sirenas
Todas as buzinas
Todos os reco-recos tocarem
- Ó delicioso vôo!
Ela será encontrada miraculosamente incólume na calçada,
Outra vez criança...
E em torno dela indagará o povo:
- Como é teu nome, meninazinha de olhos verdes?
E ela lhes dirá
(É preciso dizer-lhes tudo de novo!)
Ela lhes dirá bem devagarinho, para que não esqueçam:
- O meu nome é ES-PE-RAN-ÇA...
* * * * * * * * * * * * * * *
Extraído de "Literatura Comentada - Mário Quintana
Abril Educação, 1982.

5 comentários:

Deia disse...

Francisco,

Querido...
Um 2009 abençoado para você também!
Quintana traz nas palavras uma verdade tão simples que incomoda! Isso me encanta! Sou fã das inquietudes que transformam-nos e que transforam tudo o que nos rodeia!

Um beijo grande.

Fica com Deus!

Dedéia

catadoradepalavras disse...

E que nós nunca nos esqueçamos da esperança...
Com carinho,

Lili disse...

Caríssimo Sobreira,
Lindo este poema!Desculpe a falta de palavras e atençaõ com seu blog, é que andei meio aflita neste fim de ano...que 2009 seja muito bom para todos nós que buscamos!
Grande beijo

adelaide amorim disse...

Francisco querido, ando com a conexão muito difícil, mas até o fim do mês devo voltar à civilização. Obrigada pelo comentário e pela sugestão, vou tentar achar o filme. Um beijo.

Claudinha disse...

Olá Sobreira!
A esperança é tudo, quem a perde perde a própria alma. bela escolha de poema! Feliz 2009! Beijos!